DIÁRIO DE GRAVIDEZ | TERCEIRO TRIMESTRE


SÉPTIMO MÊS | SEMANAS 28 - 31

O tempo está a voar! É só isso que me tem pairado no pensamento ultimamente. Isso e o facto de ainda ter de arranjar umas quantas coisas para o parto e a chegada da bebé. Bora lá começar a segunda parte mais difícil desta jornada! 

No outro dia, comecei a ter uma sensação estranha na zona inferior do abdómen. Senti como se tivesse um telemóvel a vibrar em cima da barriga, se bem que de uma forma mais suave, quase como um gato a ronronar. Não me lembro de alguma vez ter tido esta sensação, e depois de uma curta pesquisa parece que é apenas um tremelique do nervo, como quando por vezes acontece no olho, mas neste caso é na zona da barriga e é causado pela pressão do útero em crescimento. Ufa! Por momentos pensei que a bebé estivesse a tremer de frio ou a ser eletrocutada, que parvoíce!

Tenho a certeza que passei pela minha primeira contração de treino durante a semana 28. Estava deitada na cama à noite, a bebé a mexer bastante e de repente senti uma espécie de moínha e contracção na barriga. No momento fiquei meio assustada, porque me pareceram bem consistentes, mas assim que mudei de posição pararam. Whew!

Ultimamente tenho tido dificuldade em adormecer devido a azia e alguma expectoração. Quando consigo finalmente adormecer, acabo por acordar várias vezes durante a noite com a cara gelada envolta numa poça de baba fria. Maravilha! Ah, e parece que soltar uns roncos assim de vez em quando também virou moda agora.

OITAVO MÊS | SEMANAS 32 - 35

Tenho tido contracções de treino com bastante frequência desde a semana 32. Apesar de não ser uma sensação agradável, não dói e é mais como que uma pressão ou sensação de aperto por toda a barriga que vai e vem do nada, especialmente se estiver sentada ou depois das refeições.

Volta não volta, os meus seios vertem bastante. Não me lembro disto me ter acontecido antes, mas aparentemente é normal nas mães que já amamentaram e um bom sinal visto que quero voltar a amamentar desta vez.

O meu umbigo está oficialmente de fora! A linha negra não parece querer ficar desta vez, apareceu apenas uma sombra muito ao de leve que, à excepção da zona abaixo do umbigo, parece ter desvanecido após as 34 semanas. Em compensação tenho andado a ganhar sardas, particularmente uma constelação delas na parte direita do meu rosto e nariz, que são por norma as áreas mais expostas ao sol. Será só uma fase hormonal, ou será que chegaram para ficar? Quem sabe.

Sempre tive nódoas negras com bastante facilidade, se bem que agora noto que demoram consideravelmente mais tempo a desaparecer, o que faz com que parece que andei metida numa luta nova todas as semanas. Uma das minhas varizes está bastante visível agora, o que sendo um problema recorrente na minha família não sei se deva relacionar com a gravidez ou não. Além disso, tenho sentido imenso formigueiro nas mãos e pernas se tiver sentada de pernas cruzadas durante algum tempo ou a apoiar o peso do meu corpo nas mãos.

NONO MÊS | SEMANAS 36 - 40

Finalmente chegamos à contagem final e não me poderia sentir mais pronta para trazer esta bebé ao mundo. As minhas costas estão definitivamente a sentir o peso extra no meu corpo, o que me faz demorar uns segundos extra a levantar e andar.

Andar de bicicleta continua a ser a minha forma preferida de locomoção, se bem que agora tão perto das 40 semanas, acho que chegou a altura de deixar a gravidade fazer o seu trabalho e começar a andar a pé, pelo menos as distâncias mais curtas.

Apesar de não ter utilizado cremes desta vez, posso confirmar que não ganhei nenhuma nova estria, se bem que obviamente as que ganhei durante a minha primeira gravidez estão bem mais visíveis agora que a pele está tão esticada. Também tenho tido novamente mais corrimento, maioritariamente quando vou à casa-de-banho, mas parece que é um bom indicativo de que o meu corpo se está a preparar para o grande dia.

A bebé está saudável e a mexer-se bem e com força, o que por vezes doí bastante. Sinto que partes de dentro da minha barriga estão negras por dentro de tanta porrada levar, e as minhas costelas - ouch! Mas hey, estamos quase a chegar à meta final!

No que toca a mudanças no corpo, não sinto grandes diferenças a reportar. Felizmente não tenho tido cãibras ou inchaços, o que me deixa bastante contente. Ganhei um total de 15 kilos desde o início da gravidez. As parteiras estão contentes com o meu progresso até agora e dizem que este parece mais um bebé com peso e medidas "normais", por isso não tenho com o que me preocupar.


Às quarenta semanas e cinco dias tive uma consulta no hospital para conferir os batimentos cardíacos da bebé e o líquido amniótico a fim de saber se poderíamos esperar até às 42 semanas, no caso de ser necessário. Esta foi a primeira vez que tive este tipo de consulta, por isso aqui fica uma fotografia da minha barriga felpuda para celebrar.

A consulta correu bem, a bebé está saudável e tudo parece em ordem. Foi até engraçado poder ver as minhas contracções no gráfico e certificar-me de que não as andei a imaginar nos últimos dias.

A ideia após esta consulta era de fazer a separação das membranas, de forma a induzir naturalmente o parto daí a dois dias, e preparar um plano de parto diferente no caso de ser necessário fazer uma indução.

Felizmente esta bebé decidiu deixar o casulo no dia seguinte e por isso conseguimos ter o parto natural em casa que tinhamos planeado e deixem que vos diga, não podia ter sido mais especial. Fiquem de olho aberto para a história do parto! Vem a caminho assim que me seja possível passar mais do que dois minutos de seguida em frente ao computador. Até lá podem sempre ler a história do meu primeiro parto aqui!

Muito obrigado por mais uma vez me acompanharem nesta experiência incrível!


Sem comentários

Publicar um comentário