DIÁRIO DE GRAVIDEZ | PRIMEIRO TRIMESTRE


Quando comecei este blog já faziam oito meses que a nossa primeira filha habitava o meu útero, por isso acabei por deixar escapar a oportunidade de partilhar toda a minha experiência enquanto grávida.

Desta vez decidi manter um diário de gravidez que tenciono partilhar convosco no final de cada trimestre. Sinto que enquanto grávida pela primeira vez, ver vídeos e ler posts de outras mães sobre as suas experiências pessoais me ajudou bastante a preparar-me e a sentir confiante durante todo o processo, e é isso que tenciono fazer, de uma maneira ou de outra, ao partilhar esta minha jornada convosco.

Um pequeno disclaimer antes de começarmos. Como sempre vou ser o mais honesta, aberta e crua sobre este assunto, por isso se procuram apenas histórias de unicórnios repletos de purpurina talvez queiram deixar estes posts na borda do prato, pois o mais provável será encontrarem informação sobre funcionamentos corporais não tão glamorosos. Tudo a postos? Bora lá!


PRIMEIRO MÊS | Semanas 1 - 4

Desde que removi o DIU que o meu ciclo é tudo menos regular e me tenho mantido mais alerta em relação aos sintomas pré-menstruais. Dentro destes sintomas, os dois que mais se destacam são o sentir indisposição durante um dia inteiro e sentir os seios doridos por três dias no máximo.
Contudo, este passado mês não me recordo de todo ter-me sentido indisposta, ou pelo menos durante tantas horas, e a sensibilidade e dor no peito simplesmente não desaparecia.

Passada uma semana destes sintomas persistirem, decidi que era hora de fazer um teste de gravidez, sem quaisquer expectativas. Porém, quatro dias antes da data prevista do inicio do período lá estava ela bem presente - a segunda linha!

Apesar de ter um teste positivo nas mãos, não me sentia mal disposta ou tinha qualquer outro sintoma que me assegurasse que havia de facto um novo ser a formar-se dentro de mim, por isso esta informação demorou um pouco a assentar. Passada uma semana sem menstruar realizei-me que sim, de facto estou grávida. Bora lá começar mais uma jornada!

Feitas as contas, descobri que estava grávida apenas com quatro semanas de gestação, o que pessoalmente considero super cedo, especialmente comparado com a minha primeira gravidez.

Olhando para trás com um pouco mais de atenção, posso dizer que os três sintomas mais presentes seriam definitivamente sentir o peito dorido, sensível e mais cheio, os meus mamilos também cresceram bastante e ficaram mais escuros, o que não esperava que acontecesse tão cedo, e acne hormonal. Desta vez, em vez daquela borbulhinha ocasional na espera do próximo período, tive imensas borbulhas espalhadas pelo pescoço e atrás das orelhas, daquelas borbulhas internas em que não podes fazer nada e só existem mesmo para te irritar. Ah! E comecei a levantar-me pelo menos uma vez durante a noite para esvaziar a bexiga.


SEGUNDO MÊS | Semanas 5 - 8

Sinto-me exausta na maioria do tempo e dou por mim a adormecer do nada e em qualquer lugar, o que não é de todo a minha cena a menos que esteja doente. Sinto-me um pouquinho ofegante a fazer as coisas mais banais como subir escadas e andar de bicicleta e consigo sentir os batimentos do coração mais fortes ao ponto de os ouvir à noite. É estranho.

Por vezes sinto aquela moínha como quando o período está para chegar, mas de uma forma mais ligeira. Hmm, que mais?
Por volta da sexta semana a indisposição deu de si, maioritariamente quando tenho fome ou quando tenho o estômago vazio, o que me faz acordar todos os dias mal disposta mas passa pouco depois de comer um bom pequeno-almoço.

Com a excepção de uma coisa que nem consigo pensar sem ficar indisposta, e consequentemente carne, felizmente não tenho tido nenhumas aversões a comida. Por outro lado, existem certas coisas que não consigo olhar sem sentir um remoinho no estômago. Provavelmente o meu cérebro a pregar partidas porque não se trata de comida mas mais objectos decorativos e isso, vá se lá entender.

Quando me levanto demasiado rápido sinto uma sensação de puxar nas laterais da pélvis e não consigo permanecer muito tempo de pé sem me sentir tonta ou mal disposta.

Transformei-me numa couch potato em formato avozinha e quando bate as oito horas estou prontinha para a cama. Para além disso, o meu sono está bastante leve e, ou tenho sonhos vividos e aterradores ou acordo com o barulhinho mais baixo e demoro horas a adormecer de novo, o que provavelmente vem a adicionar à falta de energia que tenho sentido ultimamente. Espero que mude rapidinho.

Tenho sede com muito mais frequência mas aprendi a beber água devagarinho, pois cada vez que não o faço fico mal disposta durante horas. Tenho muito mais apetite e vontade de certas comidas, no entanto não consigo acabar ou chegar sequer a meio de uma refeição, por isso tenho andado a comer mais refeições ligeiras ao longo do dia o que também previne a sentir-me mal disposta.  Deixei agora de beber café. Não porque deixei de gostar, pelo contrário continuo a adorar, mas simplesmente não sinto vontade de beber. Uh e azia! Tem sido o meu nome do meio... Bah!

Uma coisa bastante irritante que tem acontecido desta vez, é que ora tenho prisão de ventre durante dias como no dia seguinte tenho diarreia. Oh hormonas, como é sempre bom lidar convosco!

Ainda tenho bastante acne interno a aparecer de vez em quando, especialmente na área por trás das orelhas.


TERCEIRO MÊS | Semanas 9 - 13

Se estás a ler isto é porque por esta altura desisti por completo dos meus jeans. Passadas apenas duas horas de uso ficam tão mas tão desconfortáveis na zona da barriga que se torna insuportável. Não é que já tenha uma grande barriga de grávida, mas bolas se o inchaço é real!

Tive já alguns ataques de irritabilidade, particularmente quando não me apetece ser tocada e tenho uma criança a saltar em cima de mim ou a puxar-me constantemente. Além disso ando bastante sensível e dou por mim a chorar com o simples toque do que quer que seja emocional ou frustrante.

A indisposição já passou na sua grande maioria, se bem que por vezes bate forte mas desaparece rápido.

A minha barrinha de energia está um pouco mais cheia, apesar de ainda ter dias em que só me apetece fechar os olhos e hibernar até ao dia seguinte. Talvez seja em parte culpa do tempo cinzento.

Já tive a minha primeira ecografia e consulta com a parteira e parece estar tudo OK. O parto está previsto para o mês de Junho. Um bebé de verão e um de inverno, tal e qual como eu e o David! Awww...

E o primeiro trimestre já lá vai atrás das costas! Yay! Supostamente o segundo é o melhor dos três. Esperemos que desta vez tenha a mesma sorte!

Próxima vez que falarmos já devemos saber qual é o sexo do bebé. Estão abertas as apostas!




Sem comentários

Publicar um comentário